NETFLIX | THE GET DOWN - 2ª TEMPORADA (CRÍTICA) 
Produção
Elenco
Trilha Sonora
Fotografia
Roteiro
4.6Pontuação geral
Avaliação do leitor: (3 Votos)

‘O LADO OBSCURO DO SUCESSO’

A segunda temporada da série que mostra a ascensão do hip-hop acompanhado pela queda da era disco, vem cheia de peso no que diz respeito a realidade do sucesso. Malyne Cruz, a protagonista que sonha em ser uma cantora de sucesso, finalmente consegue o apoio de uma grande gravadora, e os The Get Down Brothers conquistam seu espaço no Bronx. Mas o que é preciso arriscar? Qual preço é válido pagar para ser reconhecido? Nesta temporada vemos os dois lados de uma moeda que até então apenas brilhava.

Ambientada em 1978, a série continua a história iniciada a partir de Mylene e Ezequiel (Justice Smith), agora melhor estruturados em suas carreiras, porém sendo pressionados sobre o peso do sucesso indo de encontro com a própria essência, os jovens estão sempre sendo postos à prova. The Get Down parece querer explanar uma realidade não distante dos dias atuais: festas regadas à drogas, o tráfico em sua prática mais comum, juventude precoce e abuso de poder das autoridades. Tudo é colocado em questão sob uma fotografia que alterna filtros com tonalidades que remetem à época com influências fortes dos quadrinhos dos anos 1970, o recurso parece querer trazer certa leveza em meio a tantas cenas impactantes.

A trilha sonora é desde a primeira temporada o ponto alto de The Get Down, onde o hip-hop continua sendo o elemento principal sem deixar o estilo pop de lado, muito bem representado mais uma vez por Herizen F. Guardiola, dando vida à Mylene Cruz. Sua personagem começa se destacando bem, mostrando uma Mylene cheia de força em suas decisões sem deixar de lado sua originalidade, porém termina cedendo aos desejos do sucesso, levando a consequências importantes para o desfecho do roteiro.Um personagem de grande destaque é o líder dos The Get Down Brothers, Shaolin Fantastic (Shameik Moore), com profundos conflitos internos, este exemplifica a realidade de muitos jovens. É com Shao que vemos ilustrado os dois lados de uma mesma moeda: a música não é suficiente para quem teve uma história como a sua viver no Bronx dos anos 1970. A racionalidade da série é representada por Ezequiel, que traz uma nova possibilidade à vida de Shao através de uma amizade questionadora.

Com a produção de Baz Luhrmann, The Get Down traz explicitamente para as telas uma realidade já mostrada nas letras do hip-hop. Seus seis capítulos foram suficientes para “cantar” os conflitos internos e externos que a juventude do Bronx vivia e que a juventude de qualquer lugar pode viver ainda hoje, como um grande grito ora de imposição em ser, ora de socorro por viver.

 

Ficha Técnica

THE GET DOWN
Distribuidor: Netflix
Gênero: Drama, musical
Data de Lançamento: 12 de agosto de 2016 (Brasil)
Tempo de Duração: 53 minutos
Direção: Baz Luhrmann
Roteiro: Stephen Adly Guirgis
Produção: Stephen Adly Guirgis

Elenco: Justice Smith (Ezekiel), Herizen F. Guardiola (Mylene Cruz), Shameik Moore (Shaolin), Skylan Brooks (Ra-Ra)

Sinopse: Ambientada em Nova York durante o ano de 1977, The Get Down conta a história de como, à beira das ruínas e da falência, a grande metrópole deu origem a um novo movimento musical no Bronx, focado nos jovens negros e de minorias que são marginalizados. Entre o surgimento do hip-hop e os últimos dias da Disco Music, a história se costura ao redor das vidas dos moradores do Bronx e de sua relação com arte, música, dança, latas de spray, política, religião e Manhattan.

Comentários

comentários