NETFLIX | PANDORA (CRÍTICA)
Roteiro
Direção
Elenco
Efeitos Especiais
Trilha sonora
3.6Pontuação geral
Avaliação do leitor: (3 Votos)

‘MESMO PECANDO EM ALGUNS DETALHES, PRENDE O ESPECTADOR DO INÍCIO AO FIM’

O descaso de empresas e autoridades com as consequências de seus atos, assim como a ganância humana, são muitas vezes a causa de grandes catástrofes. Essa é a mensagem que muitos filmes do gênero procuram transmitir. Como em Titanic, onde temos um navio considerado inafundável, Pandora chega, já no início, com um discurso sobre como a usina nuclear local – ponto central da história – é praticamente indestrutível.

Projetada para resistir a um terremoto de nível 7, a antiga usina nuclear localizada em uma pequena cidade sul coreana é a principal fonte de trabalho de seus habitantes. Entre eles estão Kang Jae-Hyuk (Kim Nam-Gil – The Pirates, 2014), um homem de família simples que almeja um futuro diferente do que a cidade tem a oferecer, seus quatro amigos de infância, incluindo a namorada, e Pyeong-Seok (Jung Jin-Young – Gangnam Blues, 2016), o típico funcionário ciente dos riscos, mas que nunca é ouvido por seus superiores.

Kang Jae-Hyuk é um homem de família simples, que almeja um futuro diferente

Atingida por um tremor de grande escala, a usina começa a apresentar uma série de problemas causados pela manutenção inadequada. Diante do risco de uma potencial explosão nuclear que pode afetar a todo o país, há uma equipe despreparada para lidar com as consequências de tamanha catástrofe. Na tentativa de impedir danos aos caros reatores nucleares e “evitar o pânico da população”, uma diretoria preocupada com prejuízos e um governo fraco arriscam a vida de milhões de inocentes ao esconder a dimensão do problema. Enquanto isso, trabalhadores e cidadãos lutam para sobreviver e salvar suas famílias.

Pandora não é o primeiro longa em que o diretor e roteirista Park Jung-Woo se aventura no estilo. Em Deranged, lançado em 2012, uma epidemia causada por um verme mortal atinge proporções gigantescas e ameaça a população sul coreana. Em ambos os filmes há uma clara crítica à relação custo vs. vidas, enfatizando a frieza com que a salvação ou o sacrifício de seres humanos é discutida.

Trabalhadores e cidadãos lutam para sobreviver à catástrofe.

O clima de tensão é bem construído, tanto nas cenas de pânico desenfreado quanto no embate entre o lado impassível e lógico das autoridades mais experientes contra a sensibilidade do jovem presidente (Kim Myung-Min, que interpreta o protagonista de Deranged). Há um certo exagero no drama – o extenso monólogo final de Jae-Hyuk que o diga -, mas os personagens bem trabalhados e as boas atuações compensam, combinados à trilha sonora que, seguindo a linha de muitos filmes asiáticos, só surge quando realmente necessária, sem jamais se sobrepor ao trabalho dos atores.

O filme é longo – quase duas horas e meia. O roteiro, no entanto, se desenvolve bem ao trabalhar todos os lados da história de forma interligada. Os muitos personagens são apresentados de forma rápida, mas com poucas sentenças ou atitudes são capazes de transmitir suas personalidades , indicando com clareza seus papéis na trama. A evolução de Jae-Hyuk enquanto protagonista é natural, assim como a tensão crescente que surge entre seus familiares durante o clímax do filme. Yeon-Joo (Kim Ju-Hyeon – Epitaph, 2007), sua namorada, é uma personagem feminina forte, que assume a liderança do grupo de cidadãos em fuga com facilidade.

É evidente que o longa bebe do estilo hollywoodiano. Os cenários e efeitos especiais são grandiosos, e há uma certa preocupação em encaixar cenas de ação dispensáveis, o que basicamente se resume a um ônibus cortando a cidade a toda velocidade e um corre corre desenfreado. A influência, porém, em nada desmerece o longa. Mesmo pecando em alguns detalhes, Pandora cumpre o que promete e prende a atenção do espectador do início ao fim.

Ficha técnica


PANDORA
Distribuidor: Next Entertainment World
Gênero: Catástrofe, ação, drama
Classificação Etária:
Data de Lançamento: 7 de Dezembro de 2016
Tempo de Duração: 2h 26 min
Direção: Park Jung-Woo
Roteiro: Park Jung-Woo
Produtores: Kim Chul-yong, Park Kyung-sook

Elenco: Kim Nam-gil (Kang Jae-hyeok),Kim Young-ae (Sr. Seok), Kim Ju-hyeon (Yeon-joo), Jung Jin-young (Pyeong-seok), Moon Jeong-hee (Jung-hye), Kim Dae-myung (Gil-seop), Lee Geung-young (Primeiro Ministro), Kim Myung-min (Presidente da Coréia do Sul)

Sinopse: Quando uma usina nuclear é atingida por um terremoto, o risco de explosão coloca toda a Coréia do Sul em alerta. Enquanto o governo e autoridades da empresa discutem possíveis soluções, os trabalhadores e cidadãos da pequena cidade onde a usina se localiza lutam para sobreviver.

 

Comentários

comentários