NETFLIX | DESVENTURAS EM SÉRIE - TEMPORADA 1 (CRÍTICA)
Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia
Cenografia
Caracterização
4.6Pontuação geral
Avaliação do leitor: (1 Voto)

‘SEJA INSENSATO, MAS ASSISTA ESSA PRODUÇÃO’

Desde 2004, quando foi lançado o longa-metragem estrelado por Jim Carrey, Desventuras em Série arrebatou milhares de fãs pelo mundo; e não poderia ser diferente já que o filme é mesmo uma obra prima do cinema. Com influências fortes da película cinematográfica, a Netflix embarca em mais uma grande produção, arriscando-se ao recontar essa história pouco amistosa, mas cheia de surpresas.

A série reconta a trajetória dos irmãos Baudelaire, três crianças que perdem seus pais em um incêndio e passam a fugir das garras de Conde Olaf, um parente “próximo” que faz de tudo para ficar com a fortuna dos órfãos. A história é triste e contada de uma forma muito verdadeira ao público, a partir da visão Lemony Snicket, autor dos livros e aqui o narrador da trágica jornada de Violet, Klaus e Sanny.

Com muita maestria e respeito pela produção do filme de Brad Silberling, a série parece não querer ser melhor que o longa-metragem e caminha com grande influência dele, sem parecer simplesmente uma cópia. O diretor Barry Sonnenfeld (Encantada, 2007), em parceria com a mente criativa de Daniel Handler, que trabalhou no filme de 2004, acertam na produção grandiosa, com cenários bem detalhados e sombrios na medida certa, aqui percebemos certa influência do trabalho de Tim Burton (O Lar das Crianças Pecualiares, 2016), principalmente na arquitetura quase sempre grandiosa e colorida, fotografia sombria e acinzentada e em alguns elementos cenográficos, como esculturas e quadros. Os cenários criados por Bo Welch, que já trabalhou em diversas produções de Burton, como Edward Mãos de Tesoura (1990) e Beetlejuice (1988) são, com certeza, pontos altos da série.

O figurino também é de alta qualidade, bem como toda a caracterização, elemento muito importante para personagens significativos, como o próprio Conde Olaf, vivido por Neil Patrick Harris, conhecido por seu trabalho em How I Met Your Mother, gerou grande expectativa no público não apenas em ser o grande destaque da trama, vivido por Jim Carrey no filme, mas em provar sua flexibilidade como ator. Este não decepciona e se Conde Olaf dependesse da atuação de Harris e não da sua para conseguir a fortuna dos órfãos, com certeza já teria conseguido. Aliás, todo o elenco é bem selecionado, trazendo grandes nomes como Joan Cusack (As Vantagens de Ser Invisível, 2012), Patrick Warburton (Crowded, 2016), Alfre Woodard (Luke Cage, 2016); até os jovens Malina Weissman, Louis HynesPresley Smith, como Violet, Klaus e Sunny Baudelaire respectivamente. Todos possuem uma atuação bastante comprometida com seus personagens e alguns geram certa surpresa, como Alfre Woodart, mostrando-se uma atriz muito versátil.

A série acerta em cheio em muitos elementos, sendo sempre muito verdadeira, avisando-nos de que não há finais felizes nessa história desde o começo, porém reservando algumas surpresas. O roteiro é bem estruturado, a sinceridade aqui é o ponto forte do discurso do narrador Lemony Snicket, vivido por Patrick Warburton, quebra a 4ª parede e conversa diretamente com o público deixando-nos sem esperança, porém com o uso de plot twist o personagem parece brigar não apenas com a imaginação fértil do público, mas também com o roteiro.

Desventuras em Série é bem dividida e foi inspirada nos quatro primeiros livros de Snicket, percebemos uma subdivisão clara durante os capítulos de cada aventura vivida por Violet, Klaus e Sunny, mostrando que não era necessário mais que 10 capítulos para contar essa história de maneira proveitosa. Esta foi uma boa sacada desenvolvida com qualidade, não ficamos cansados da série, os capítulo têm muita ação e o humor é presente a todo o momento com piadas inteligentes e boas referências.

Mais um acerto da Netflix que vem conquistando nossos corações com produções cada vez mais diversificadas, agradando a todo tipo de público. Desventuras em Série conquista pela sinceridade, pela qualidade da produção e pelo humor; termina por nos deixar querendo mais e logo a próxima temporada, mesmo tendo esse tom deprimente em cada elemento utilizado e sem promessas de finais felizes.

Ficha Técnica


DESVENTURAS EM SÉRIE (Lemony Snicket’s A Series of Unfortunate Events)
Distribuidor: Netflix
Gênero: Aventura, Drama, Fantasia
Classificação Etária:
Data de Lançamento:  12 de janeiro de 2017
Tempo de Duração: 50 minutos
Direção: Barry Sonnenfeld, Bo Welch, Mark Palansky
Criadores: Daniel Handler , Barry Sonnenfeld
Roteiro: Jack Kenny
Produção: Neil Patrick Harris, John Weber, Cindy Holland, Barry Sonnenfeld, Daniel Handler
Designer de Produção: Bo Welch

Elenco: Neil Patrick Harris  (Count Olaf / Shirley / Stefano / Captain Sham), Malina Weissman (Violet Baudelaire), Louis Hynes  (Klaus Baudelaire), Presley Smith  (Sunny Baudelaire), Patrick Warburton (Lemony Snicket), Joan Cusack  (Justice Strauss), Catherine O’Hara  (Georgina Orwell), Aasif Mandvi  (Oncle Monty), Don Johnson  (Sir), Alfre Woodard  (Aunt Josephine), Will Arnett  (Pai), Cobie Smulders (Mãe).

Sinopse:

Os órfãos Baudelaire são três irmãos muito inteligentes; Violet é a mais velha, Klaus é o irmão do meio e Sunny é a mais nova, com três anos. Quando seus pais morrem, eles passam a morar com diferentes tutores, e o primeiro é Conde Olaf, que irá tentar roubar a enorme herança deixada pelos pais.

Comentários

comentários