CRÍTICA | XXX: REATIVADO
Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia
Trilha Sonora
3.6Pontuação geral
Avaliação do leitor: (1 Voto)

‘VIN DIESEL CONSEGUE SALVAR UMA TARDE TEDIOSA COM A NOVA PRODUÇÃO’

O espião esportista Xander Cage está de volta, mas agora com a responsabilidade de salvar o mundo. Dessa vez sua missão é recuperar um aparelho extremamente perigoso conhecido como Caixa de Pandora, um dispositivo capaz de controlar todos os satélites na órbita terrestre e transforma-los em armas.  Seu retorno acontece 15 anos após o filme Triplo X.

A premissa básica de XXX: Reativado transpassa ao público como algo bem clichê, ainda mais pelo plot twist apresentado não surpreender muito no final das contas, mas de certa forma a história apresentada é como fundo para as cenas eletrizantes de ação e para os disparates cômicos dos personagens.

Vin Diesel mostra que revisitar o passado pode funcionar.

Vin Diesel, que estava se distanciando das franquias que o catapultaram ao status quo de durão e “ator de ação”, mostra que revisitar o passado pode funcionar. A sensação é que o ator entende que o personagem Xander Cage é um budget James Bond com habilidades que deixam até Tony Hawk com inveja. Dessa vez, seu trabalho se torna muito mais fluido dentro do contexto. Isso atribuiu para uma dimensionalidade maior ao personagem, até então, visto pelo público como um grande valentão.

Parte dessa evolução do ator se deve ao roteiro e direção que abraçam ainda mais o gênero comédia e sátira. Esse foi um ponto que o diretor soube desenvolver e usar a seu favor. Em diversas cenas o filme apresenta uma sensação de “se você não rir de você mesmo, não pode rir de mais ninguém”. Talvez se o alívio cômico tivesse sido ainda mais explorado e o sarcasmo usado com mais frequência o resultado fosse ainda mais satisfatório, pois esse é um dos problemas do filme: se ater ao mediano.

Cenas onde os efeitos visuais deixam a desejar e causam estranhamento pela pouca qualidade do CGI.

O roteiro assinado por F. Scott Frazier, que não apresentou trabalhos relevantes no cinema, apresenta grandes sequências de ação, aventura e lutas, mas mesmo desenvolvido em pouco menos de 1 hora e 50 minutos, consegue ter um desdobramento que quebra o ritmo acelerado e, por não apresentar grande profundidade, soa como arrastado.

O diretor D.J. Caruso tem em seu currículo produções expressivas, como, Paranóia (2007) e Eu Sou o Número Quatro (2011), e mesmo o resultado final de XXX: Reativado sendo regular, o filme é capaz de entreter, principalmente os menos críticos e analíticos. Quem deve se satisfazer mais com o longa são os fãs dos “XXX ” anteriores, mas talvez falhe ao tentar angariar uma nova leva de fãs, mesmo com a inserção de novos personagens.

Essas novas personas estereotipadas e exacerbadas até cativam o público e são engrenagens para diálogos nonsense. Um dos destaques é a sequência inicial entre Neymar Jr. e Gibbons, personagem vivido pela terceira vez por Samuel L. Jackson, que culmina em uma explosão repentina que já prepara o público ao ritmo que o filme irá seguir. Entre os momentos irreais, mas divertidos encontra-se a maior parte dos diálogos das atrizes Nina Dobrev (The Vampire Diaries) e Ruby Rose (Orange Is The New Black), com falas totalmente polarizadas em “desajeitadas” e “friamente calculadas”, mas, infelizmente, esses personagens secundários não são muito bem explorados. A falta de aprofundamento dá a sensação de que uma possível continuação pode ter como argumento trazer à tona o passado e o desenvolvimento deles em um novo enredo e talvez a relação com Xander Cage, mas para vermos se Vin Diesel retornará ao papel temos que aguardar a bilheteria mundial do filme.

Novas personas estereotipadas e exacerbadas até cativam o público e são engrenagens para diálogos nonsense.

Em questões técnicas se percebe uma apresentação que se mantém no mediano para baixo com cenas onde os efeitos visuais deixam a desejar e causam estranhamento pela pouca qualidade do CGI. Um ponto interessante é a trilha sonora que, casada com a edição rápida e sagaz, transforma as cenas de ação em clipes que parecem retirados do repertório de algum atleta e até justificam o uso do 3D.

O filme ensaia uma representação saudosista com aqueles que se afeiçoaram com os primeiros longas, mas o clima nostálgico não decola e se resume a cenas, em alguns momentos desconexas, que ecoam como fanservice. Vin Diesel consegue salvar uma tarde tediosa com a nova produção, mas passa longe de ser uma das estreias mais significativas do ano.

Ficha Técnica

XXX: REATIVADO (xXx : Return of Xander Cage)
Distribuidor: Paramount Pictures
Gênero: Ação, Suspense
Classificação Etária: 14 Anos
Data de Lançamento:  19 de janeiro de 2017
Tempo de Duração: 1 h e 47 minutos
Direção: D.J. Caruso
Roteiro: F. Scott Frazier
Produção: Vin Diesel, Jeff Kirschenbaum, Neal H. Moritz, Joe Roth, Samantha Vincent, Vince Totino
Diretor de Fotografia: Russell Carpenter
Cenografista: Jon Billington
Trilha Sonora: Brian Tyler

Elenco: Vin Diesel (Xander Cage), Donnie Yen (Xiang), Deepika Padukone (Serena Unger), Kris Wu (Nicks), Ruby Rose (Adele Wolff), Tony Jaa (Talon), Nina Dobrev (Rebecca), Rory McCann (Tennyson Torch), Samuel L. Jackson (Agente Augustus Gibbon).

Sinopse:

Xander Cage (Vin Diesel) desiste de sua aposentadoria quando Xiang, um guerreiro alfa mortal, coloca suas mãos em uma arma indestrutível chamada de “Caixa de Pandora”. Xander recruta os melhores soldados do mundo para destruir o vilão e paralelamente tem que enfrentar uma resistência formada por governos corruptos de todo o mundo.

Comentários

comentários