‘TRILHA SONORA E EFEITOS ESPECIAIS VÃO TIRAR SEU FÔLEGO’

Jornada nas Estrelas ficou pop”. Essa frase vem sendo muito utilizada por aí. E a realidade foi que isso realmente aconteceu. Tentando se adequar ao universo cinematográfico dos tempos atuais, a franquia Star Trek usa e abusa de efeitos especiais em seus filmes, bem diferente de antes. Veja bem, sem críticas ao que nos era apresentado nas séries e ao que nos é hoje (épocas distintas, momentos distintos). É só uma constatação. Star Trek – Sem Fronteiras segue fielmente o que é visto em filmes de grande orçamento hoje em dia e ao universo pop da franquia.

Novo filme da franquia usa e abusa de efeitos especiais

Novo filme da franquia usa e abusa de efeitos especiais

A terceira história da nova franquia é independente das outras. Para começo de conversa, o Capitão Kirk (Chris Pine) está em dúvida se quer continuar seguindo como o principal líder da nave Enterprise, enquanto Spock também tem dúvidas sobre o seu futuro. O único fato em que nos remete ao filme anterior é que os tripulantes da nave estão no terceiro ano de cinco da missão espacial que estão cumprindo. Nesse meio tempo, Kirk e sua tripulação recebem um pedido de socorro que os levam ao vilão Krall (Idris Elba), um desertor anti-Frota Estelar interessado em um objeto de posse do líder da Enterprise. Numa sequência de tirar o fôlego, a nave é destruída e acaba em um planeta desconhecido. Quando chegam ao novo lugar, nos é apresentada uma nova personagem, Jaylah (Sofia Boutella), que os ajuda a recuperar a tripulação da nave e sair de onde estão.

O universo pop da franquia, nesse terceiro episódio, funciona muito bem. O roteiro de Simon Pegg (Montgomery Scott) e Doug Junk, apesar de não nos apresentar nada que já não tenhamos visto, consegue extrair boas atuações e um humor bem característico de certos personagens. As cenas do próprio personagem de Pegg são bem divertidas. Já Justin Lin (Velozes Furiosos 4, 5, 6), diretor do filme –  foi muito bem. Há um desenvolvimento muito bom de cenas, principalmente quando os personagens se dividem em duplas no planeta desconhecido. As referências ligadas à série clássica foram muito bem utilizadas no roteiro e proporciona um momento bem nostálgico o qual os fãs vão adorar.

Diversão garantida com dupla Spock e Bones em cena

Diversão garantida com a dupla Spock e Bones em cena

O ponto máximo dessa história de universo pop no filme é a trilha sonora, que em certos momentos faz parte do roteiro. Trilha sonora e efeitos especiais são muito bem executados em cena. Efeitos esses, de muito bom gosto e de excelente qualidade durante os 122 minutos no vídeo. E por que não? a Trilha Sonora e os efeitos especiais são o que Star Trek – Sem Fronteiras tem de melhor. A melhor maneira de se aproveitar todo esse potencial de efeitos e som é assistindo em uma sala IMAX. Esse filme é um dos poucos filmes que realmente trabalham bem a tecnologia de imersão do IMAX. Cada cena é um impacto visual e sonoro que o faz imergir para a cena. É possível distinguir cada som que o diretor apresenta no filme. Outro ponto a se destacar é o desenvolvimento dos personagens, inclusive dos mais coadjuvantes. Bones, Scott, Sulu, Uhura, Chekov tem participações muito boas e divertidas e Jaylah (Sofia Boutella) é uma surpresa muito bem vinda na história. Quanto ao vilão, Krall (Idris Elba) é um personagem bem assustador, mas não faz com que Elba mostre todo seu potencial.

J.J. Abrams pode ficar sossegado, que Justin Lin seguiu a risca sua idéias iniciais, quando repaginou a franquia. Jornada nas Estrelas mudou e se adequou ao que o cinema comercial pede hoje em dia. Repleto de efeitos especiais e com um trilha sonora de primeira, tem todos os elementos pop para fazer vale cada centavo, dos 185 milhões de dólares gastos. Ah, e não perca a homenagem aos personagens da série antiga, em que Spock está diretamente envolvido.

Ficha Técnica

127123
STAR TREK – SEM FRONTEIRAS (Star Trek – Beyond)
Distribuidor/ Produtora: Paramount Pictures
Gênero: Sci-fi, ação, Aventura
Classificação Etária: 12 anos
Data de Lançamento:  01 de setembro de 2016
Tempo de Duração: 122 minutos
Direção: Justin Lin
Roteiro: Simon Pegg, Doug Junk
Produtores: J. J. Abrams, Bryan Burk, Roberto Orci
Trilha Sonora: Michael Giacchino
Elenco:
Zoe Saldana (Uhura), Chris Pine (James T. Kirk), Zachary Quinto (Spock), Karl Urban (Leonard “Bones” McCoy), Simon Pegg (Montgomery “Scotty” Scott), Anton Yelchin (Pavel Checkov), John Cho (Hikaru Sulu), Idris Elba (Krall), Sofia Boutella (Jaylah)

Sinopse:

A tripulação da USS Enterprise está no meio de sua missão de cinco anos pelo espaço quando é atacada por uma poderosa espécie alienígena desconhecida, forçando o abandono da nave. A tripulação sobrevivente fica presa em um planeta também desconhecido sem nenhum meio aparente de resgate, entrando em conflito com um inimigo que nutre um imenso ódio contra tudo o que a Federação Unida dos Planetas defende e representa.

CRÍTICA | STAR TREK - SEM FRONTEIRAS
Direção
Roteiro
Elenco
Efeitos Especiais
Trilha Sonora
4.3Pontuação geral
Avaliação do leitor: (0 Votos)

Comentários

comentários