‘SAMURAIS DO VELHO OESTE’

Remakes são realmente válidos? Por que não ficar com a obra original? É uma atitude de Hollywood só para fazer mais dinheiro? A história precisa ser atualizada para uma nova geração? É falta de criatividade? Falta de inovação? São muitas as perguntas que circundam esse tema, mas a única certeza é que remakes foram, são e continuarão sendo feitos.

Sete Homens e um Destino” é remake de um homônimo de 1960 que, por sua vez, é a adaptação americana do clássico de Akira Kurosawa “Os Sete Samurais” (1954). A história dessa vez é sobre uma pequena cidade que está sendo tomada por um tirano rico, Bartholomew Bogue (Peter Sarsgaard / A Órfã – 2009). Após ter seu marido assassinado, Emma Cullen (Haley Bennet / O Protetor – 2014) vai a procura de ajuda e contrata um caçador de recompensas, Sam Chisolm (Denzel Washington / O Gângster – 2007), que junta um equipe de mais seis homens para defender a cidade.

O elenco é com certeza o maior acerto dessa versão do século XXI. A aposta em alguns atores desconhecidos como Manuel Garcia- Rulfo (Abençoe-me, Ultima: A Feiticeira – 2013), Martin Sensmeier (Lilin’s Brood – 2016) e até Byung-hun Lee (G.I. Joe: A Origem de Cobra – 2009), que apesar de já ter experiência em filmes americanos é sempre como coadjuvante, foi acertada. Cada um deles tem seu momento e as interações do grupo trazem cenas engraçadas e de excelente sintonia. Ethan Hawke (Boyhood: Da Infância  Juventude – 2014) e Vincent D’Onofrio (Série Demolidor) são atores mais experientes e conhecidos do público e assumem essa responsabilidade. O primeiro faz talvez o seu primeiro filme “pipocão” e se sai bem, utilizando um pouco do humor e da confiança do personagem. Já D’Onofrio é um dos destaques dos sete, seu jeito de falar com tom de voz irregular passa uma carga meio sofrida e ainda consegue ser engraçado quanto ameaçador. O líder do grupo é Denzel Washington, e apesar do seu lado “badass” atirador não ser uma novidade, ele é sempre entrega uma carga a mais ao filme.

Chris Pratt (Guardiões da Galáxia – 2014) completa o elenco, ou melhor, rouba a cena. É impressionante o carisma que o ator traz e seus momentos são os melhores do filme. Pratt não apresenta uma atuação brilhante, na verdade pode-se dizer que está muito parecido com Peter Quill de “Guardiões da Galáxia”. É como ver o Star Lord no velho oeste e isso proporciona cenas hilárias. As expressões dele mostram que seu personagem se diverte com tudo e as interações com o restante dos sete, principalmente com o mexicano Manuel Garcia-Rulfo, que estão constantemente se provocando, fazendo piadas e graça um com o outro.

A Direção é de Antoine Fuqua (Dia de Treinamento – 2001) e ele traz novamente a dupla com quem fez seu maior sucesso, Denzel Washington e Ethan Hawke, mas infelizmente a fórmula não se repetiu. Em grande parte Fuqua passa bem, faz homenagem ao estilo com closes nos olhos que são clássicos do gênero, mas não acrescenta nada de novo e nem de destaque. As cenas de lutas ficaram excessivamente longas e não tem nenhuma característica de velho oeste, fora a locação e as roupas. Se fosse transportada para uma cidade dos dias de hoje não faria diferença alguma.

sete_homens_e_um_destino-3

Já a Trilha Sonora de James Horner e Simon Franglen, parceria que já deu certo em Titanic e Avatar, dá certo aqui também. Elementos que colocam no clima e remetem aos clássicos que já fizeram tanto sucesso são bem presentes. Elementos que também estão na Fotografia de Mauro Fiore (Avatar), como câmeras bem abertas mostrando o local, mas algumas câmeras lentas nas batalhas ficaram confusas e fugindo totalmente ao estilo.

O gênero Western não é fácil de fazer, há um bom tempo não se tem um filme que se destaque (fora os dois de Tarantino que são tanto gênero Tarantino quanto western). “Sete Homens e um Destino” poderia ser esse resgate, por ser remake de um clássico e ter um elenco tão talentoso, mas infelizmente é mais um bom filme que não vai muito além disso.

Ficha Técnica

sete_homens_e_um_destino-1
SETE HOMENS E UM DESTINO (The Magnificent Seven)
Distribuidor/ Produtora: Sony Pictures
Gênero: Faroeste, Ação, Aventura
Classificação Etária:  não disponível
Data de Lançamento:  22 de setembro de 2016
Tempo de Duração: 2h 12 min
Direção: Antoine Fuqua
Roteiro: Richard Wenk, Nic Pizzolato (baseado na obra de Akira Kurosawa, Shinobu Hashimoto e Hideo Oguni)
Produtores: Roger Birnbaum, Todd Black, Antoine Fuqua, Walter Mirisch
Fotografia: Mauro Fiore
Trilha Sonora: Simon Franglen, James Horner

Elenco: 
Denzel Washington (Sam Chisolm), Chris Pratt (Josh Farraday), Ethan Hawke (Goodnight Robicheaux), Vincent D’Onofrio (Jack Horne), Byung-hu Lee (Billy Rocks), Manuel Garcia-Rulfo, Martin Sensmeier, Haley Bennet (Emma Cullen), Peter Sasgaard (Bartholomew Bogue)

Sinopse:

Refilmagem do clássico faroeste Sete Homens e um Destino (1960), que por sua vez é um remake de Os Sete Samurais, de Akira Kurosawa. Os habitantes de um pequeno vilarejo sofrem com os constantes ataques de um bando de pistoleiros. Revoltada com os saques, Emma Cullen (Haley Bennett) deseja justiça e pede auxílio ao pistoleiro Sam Chisolm (Denzel Washington), que reúne um grupo especialistas para contra-atacar os bandidos.

CRÍTICA | SETE HOMENS E UM DESTINO
Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia
Trilha Sonora
3.5Pontuação geral
Avaliação do leitor: (3 Votos)

Comentários

comentários