‘AMERICAN PIE BRASILEIRO’

Comédias são definitivamente o gênero mais produzido e de maior sucesso no cinema nacional. Desde os primórdios das produções audiovisuais, o humor sempre foi muito presente tanto no cinema quanto na TV. O Brasil já teve grandes nomes na comédia como Chico Anysio e os Trapalhões, que tinham um estilo totalmente brasileiro e que retratava muito a época em que foi feita. As piadas e questões abordadas na década de 70, 80 e 90 são diferentes das abordadas nos anos 2000, que também são diferentes dessa década.

O Último Virgem conta a história de Dudu, interpretado por Guilherme Prates (Confissões de Adolescentes, 2013), que é o único virgem de seus amigos e tenta perder a virgindade. Somados a ele, estão seus três amigos que o tentam ajudar, a professora que todos desejam – e a qual ele acha que gostaria de ficar com ele – e sua melhor amiga, Julia (Bia Arantes).

o_ultimo_virgem-2

Dudu, interpretado por Guilherme Prates, é o único virgem de seus amigos e tenta perder a virgindade

Um plot extremamente parecido com o primeiro filme da série American Pie, a urgência para transar, as situações esdrúxulas, o protagonista um pouco nerd, o amigo idiota que se acha o melhor e as mesmas estratégias de roteiro. Seria uma ideia até interessante regionalizar e adaptar o conceito para a cultura e realidade do Rio de Janeiro, onde o filme ocorre, se não estivesse quinze anos atrasado.

O roteiro é de L.G. Bayão (Um Suburbano Sortudo, 2016) e Lipy Adler (também atua como o personagem Escova), que se apresenta fraco, com piadas pobres e bobas, situações que não levam a lugar nenhum. Os personagens não são bem desenvolvidos e não passam de estereótipos que não evoluem. Dudu é o Nerd virgem que tem os amigos “o gordo”, o “maconheiro”, como eles se referem no filme, e o “pegador idiota”, que é uma clara menção ao personagem clássico de American Pie, Stifler. Fora isso, ainda tem a “professora gostosa”, interpretada por Fiorella Mattheis (Vai que Cola – O Filme, 2016), e a “melhor amiga/paixão”. Tudo extremamente raso e previsível.

o_ultimo_virgem-1

Típicos personagens do clássico de American Pie.

A direção de Rilson Baco e Felipe Bretas não traz nada de diferente, alguns diálogos são extremamente forçados, frases não soam naturais e parecem desculpas para falar sobre sexo e de mulheres. Com muitos atores jovens e sem experiência, faltou muita mão dos diretores para orientação. Além de cenas que não levam a lugar nenhum, os personagens parecerem que estão em um estado de loucura e tensão sexual.

O cinema brasileiro passa por problemas com a falta de apoio e patrocínio, e uma grande produção de filmes iguais vem tirando espaço de projetos diferentes, ousados e que evoluam a produção audiovisual no país. E um filme como O Último Virgem, que traz um estilo ultrapassado, objetificação das mulheres, infantilidade nos personagens, roteiro pobre, direção fraca e outros pontos sem nó, só faz andar alguns passos para trás na luta por reconhecimento do cinema brasileiro.

Ficha Técnica

o_ultimo_virgem-3O ÚLTIMO VIRGEM
Distribuidor/ Produtora: Downtown Filmes
Gênero: Comédia
Classificação Etária: 14 anos
Data de Lançamento: 1 de Dezembro de 2016
Tempo de Duração: 1h 22min
Direção: Rilson Baco, Felipe Bretas
Roteiro: Lipy Adler, L.G. Bayão
Produção: Rilson Baco, Felipe Bretas, Lipy Adler, André Blak

Elenco: Guilherme Prates (Dudu), Bia Arantes (Julia), Fiorella Mattheis (Professora Debora), Lipy Adler (Escova), Marco Antônio Gimenez (Deco), Márcio Kieling (Delegado), André Ramiro (Luizão), Lisandra Souto (Mãe)

Sinopse:

Dudu (Guilherme Prates) é um garoto tímido que, no último ano do Ensino Médio, ainda é virgem. Esta situação faz com que ele seja alvo constante de piadas vindas de seus amigos inseparáveis: Escova (Lipy Adler), Borges (Éverlley Santos) e Gonzo (Christian Villegas). Um dia, ao término do ano letivo, ele é convidado pela professora Débora (Fiorella Mattheis) a ter aulas extras na casa dela. A situação logo faz com que Dudu e seus amigos acreditem que ela esteja dando em cima do garoto, que se preocupa mais do que nunca com sua inexperiência sexual.

CRÍTICA | O ÚLTIMO VIRGEM
Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia
Trilha Sonora
1.6Pontuação geral
Avaliação do leitor: (0 Votos)

Comentários

comentários