CRÍTICA | ALFA
Roteiro / Enredo
Direção
Elenco
Fotografia
Trilha Sonora
4.1Pontuação geral
Avaliação do leitor: (1 Voto)

‘SUPERAR LIMITES’

Superar limites. É com esse lema que a história de Alfa se desenrola. Após sofrer o ataque de um dos animais que tentava caçar, um jovem chamado Keda cai do penhasco e se perde do restante de sua tribo, porque todos acharam que ele estava morto, inclusive o líder do grupo, seu pai. A partir disso, o personagem de Kodi Smit-McPhee, ator que também interpreta Noturno em X-Men: Apocalipse (2016), vê-se diante do maior desafio de sua vida, provar ao seu líder, Jóhannes Haukur Jóhannesson, e a si próprio, que é capaz de sobreviver aos desafios da floresta e retornar vivo para sua casa. O que Keda não esperava era que ganharia uma companhia e um amigo para acompanhá-lo nessa perigosa jornada: um lobo.

É possível lembrar de O Regresso (2015) ao assistir Alfa, entretanto se diferenciam pelas motivações que fazem o ator principal a trilhar o seu longo percurso. Enquanto o personagem de Leonardo DiCaprio era movido por sua vingança, Keda queria mostrar que com seu coração e sua compaixão, seria capaz de orgulhar seus pais e sua tribo. A relação estabelecida entre o jovem protagonista e o lobo é sem dúvidas surpreendente. Keda faz uma espécie de domesticação com o animal, porém, as barreiras da amizade fazem com que os dois se ajudem e se relacionem como verdadeiros amigos.

Alfa : Foto Kodi Smit-McPhee

O filme, dirigido por Albert Hughes (O Livro de Eli, 2010), demonstra uma riqueza nos detalhes que impressiona a quem assiste. Desde o figurino até o local onde ocorrem as cenas, ambientado a época da pré-história, observa-se um verdadeiro espetáculo que muito contribui a emocionante narrativa. Sem falar, é claro, que o filme nos mantém com a atenção em tempo integral, visto que a sequência de cenas está sempre se fazendo surpreendente.

Alfa : Foto Jóhannes Haukur Jóhannesson, Kodi Smit-McPhee, Natassia Malthe

Entretanto, o que mais chama atenção nessas 1h36min do filme é a mensagem que ele nos transmite. É uma daquelas histórias que nos faz refletir nosso modo de viver, nossas experiências de vida e nos desperta a vontade de sair da sala do cinema uma nova pessoa. Todos os personagens trazem uma ideia pessoal de superação. Rho, mãe de Keda, ultrapassa o medo de ver seu filho partir em uma missão perigosa, aprendendo a confiar nele. Já Tau, o líder dessa tribo e pai do jovem, muda sua antiga concepção de que para liderar é necessário agir somente com a razão, pois o protagonista mostra que, com o coração, é capaz de vencer tudo aquilo que nem ele mesmo acreditava ser possível alcançar.

Alfa

Traz, portanto, uma bela mensagem de compaixão e amor. Então, se você quer um filme capaz de emocioná-lo, pode apostar nele, e o que muito contribuiu para esse feito, além do bom roteiro, são a temperatura muito bem determinada da fotografia, trilha e efeitos sonoros que acompanham as nuances dos acontecimentos.

Ficha Técnica

Alfa : Poster ALFA (Alpha)
Distribuidor: Sony Pictures
Gênero: Aventura, Drama
Classificação Etária: 10 anos
Data de Lançamento: 06 de Setembro de 2018
Tempo de Duração: 1h 36min
Direção / Roteiro:  Albert Hughes
Elenco: Kodi Smit-McPhee, Jóhannes Haukur Jóhannesson, Marcin Kowalczyk.

Sinopse: Após cair de um penhasco e se perder do seu grupo, o jovem Keda (Kodi Smit-McPhee) precisa sobreviver em meio a paisagens selvagens e encontrar o caminho de casa. Atacado por uma matilha, ele consegue ferir um dos lobos, mas decide não matar o animal. O jovem cuida dele e os dois começam uma relação de amizade.

Comentários

comentários