Filmes dos diretores Frank Capra, Alfred Hitchcock, Billy Wilder e Roger Corman estão entre os clássicos.

 

Aconteceu Naquela Noite (It Happened One Night, 1934)

aconteceu-naquela-noite-cena

O filme conta a história da rica e mimada Ellie

Grande vencedor do Oscar do seu ano, Aconteceu Naquela Noite papou todos os prêmios principais: melhor filme, diretor, roteiro, ator e atriz. O filme dirigido por Frank Capra conta a história da rica e mimada Ellie que foge de casa para se casar com um pretendente interesseiro, acabando por conhecer o malandro jornalista Peter Warne em um ônibus. Se estranhando de início, com Warne chantageando-a de contar para o seu pai se ela não lhe der uma exclusiva, eventualmente eles acabam se apaixonando. Clark Gable e Claudette Colbert estão soltando faíscas nesse filme hilário cheio de diálogos rápidos e ácidos e cenas levemente picantes. Uma das últimas comédias românticas feitas antes de entrar em vigor o moralista Código Hays, que passou a vetar todo tipo de ousadia explícitas nas produções.

Veja o trailer do filme:


A Mulher Faz o Homem (Mr. Smith Goes To Washington, 1939)

20160627-a-mulher-faz-o-homem-papo-de-cinema-8

James Stewart faz Jefferson Smith em “A Mulher Faz o Homem”

Frank Capra não fez apenas comédias engraçadíssimas como Aconteceu Naquela Noite – também fez clássicos dramáticos, como é o caso de A Mulher Faz o Homem, onde James Stewart faz Jefferson Smith, um interiorano ingênuo levado a Washington por políticos que querem transformar ele em uma marionete a seus interesses. Controverso em seu lançamento por trazer consigo uma crítica à corrupção governamental, Capra faz de seu filme um drama tocante e jamais forçado, onde Stewart interpreta a encarnação viva da integridade e do bom-mocismo, em um papel intenso e cativante. O diretor fez por onde para levantar a moral americana abalada pela crise de 29, onde vemos tanto amor pelo arquétipo do homem simples e bom que acabamos sendo levados juntos.

Acompanhe o trailer do clássico de 1939:


Janela Indiscreta (Rear Window, 1954)

01Rear-Window-3

Janela Indiscreta, uma obra-prima sobre o voyeurismo

O mestre do suspense Alfred Hitchcock tem uma carreira cheia de filmes brilhantes, e foi nos anos 50 onde ele lançaria suas melhores histórias, como Janela Indiscreta, uma obra-prima sobre o voyeurismo. Com a perna quebrada, o famoso fotógrafo L. B. Jefferies está confinado em sua cadeira de rodas, tendo que ser assistido por sua enfermeira Stella e sua namorada Lisa. Confinado, passa os dias a observar seus vizinhos: uma dançarina, vários casais, um pianista solteiro e uma escultora. Todos eles parecem encarnar gêneros cinematográficos, como drama e comédia. E aí vem o suspense: Jefferies passa a suspeitar que seu vizinho, um caxeiro-viajante, assassinou sua esposa doente. Tendo ajuda das amigas, passa a investigar o caso e logo a imaginação começa a parecer realidade. Com um elenco estelar contando com James Stewart, Grace Kelly e Telma Ritter, Janela Indiscreta é um clássico do suspense, com um final de roer as unhas.

Acompanhe o trailer de Janela Indiscreta:


Quanto Mais Quente Melhor (Some Like It Hot, 1959)

annex-curtis-tony-some-like-it-hot_03

Quanto Mais Quente Melhor foi uma das  mais brilhantes comédias sexuais da Era de Ouro de Hollywood

A mais brilhante das comédias sexuais da Era de Ouro de Hollywood, Quanto Mais Quente Melhor é um ícone absoluto. Mais inacreditável e hilário a cada minuto, a história dos músicos de jazz, que testemunham um crime ligado à Máfia e para fugir da queima de arquivo acabam se travestindo como mulheres e viajando com uma banda feminina, traz a nata de Hollywood – a diva Marilyn Monroe no máximo do personagem clichê que sempre interpretava, misturando graça, ingenuidade e esperteza, o sempre eficiente galã Tony Curtis fazendo um par romântico inesquecível com Marilyn e servindo de escada para aquela que talvez seja a estrela que rouba a cena, Jack Lemmon. Seu tipo de voz anasalada, o jeito meio rabugento, meio palhaço e um timing impressionante para as piadas são as ferramentas de um ator brilhante e especialmente inspirado. O diretor e roteirista do filme Billy Wilder certa vez disse: “Se o personagem entra pela porta, você não tem nada. Mas se ele entra pela janela, você tem uma situação”. Quanto Mais Quente Melhor são duas horas das mais puras “entradas pela janela” e deliciosamente hilário e imprevisível.

Veja o trailer do filme:


O Corvo (The Raven, 1963)

still-of-peter-lorre-and-jack-nicholson-in-korpen-(1963)-large-picture

O Corvo é uma das varias adaptações de livros de Edgar Allan Poe

O produtor, roteirista e diretor Roger Corman atuou no ramo do cinema B durante 4 décadas, dando a primeira oportunidade a vários medalhões do cinema, do cineasta Francis Ford Coppola ao ator Jack Nicholson. O Corvo vem da época em que Corman investiu em várias adaptações dos livros de Edgar Allan Poe. Aqui, juntou forças com Richard Matheson (autor do famoso romance Eu Sou a Lenda) e transformou o clássico poema em um embate de feitiçaria, onde o recluso Erasmus Craven e o vingativo Dr. Bedlo medem forças com o maligno Dr. Scarabus. Com um dream-team do terror, com seus protagonistas e antagonistas representados por titãs do gênero como Vincent Price, Peter Lorre e Boris Karloff, O Corvo é recheado da moda do terror sessentista: ambientação gótica, o colorido psicodélico e as representações exageradas a um nível teatral desses grandes atores são a mistura certa para uma pequena jóia do terror, adaptando o material original de forma bastante livre e dando origem a um filme único.

Comentários

comentários