‘CONHEÇA AS MAIORES EMPRESAS DE ANIMAÇÃO DIGITAL DO MOMENTO’

Antes de Walt Disney lançar Branca de Neve e os Sete Anões, primeiro longa de animação sonoro e a cores, em 1937, ninguém acreditava que os filmes animados pudessem fazer tanto sucesso. Com o trabalho de mais de 750 artistas, e 800 metros de papel gastos em esboços e desenhos, o orçamento de Branca de Neve era alto, e o risco, grande. O filme, porém, tornou-se um clássico, e chegou a ser indicado ao Oscar de Melhor Trilha Sonora.

Desde a iniciativa dos estúdios Disney, o mercado ganha cada vez mais espaço. Com experimentos e o surgimento de novas tecnologias, a animação não se restringe mais aos desenhos feitos à mão, e abrange técnicas que vão do Stop Motion (fotografias em sequência, geralmente utilizando bonecos, criam movimento) à Captura de Movimentos (os movimentos e expressões do ator são capturados e dão origem a um esqueleto digital, que serve como base para o personagem em CGI), tecnologia utilizada para a criação dos personagens de Beowulf (2007), por exemplo.

A computação gráfica, é claro, tornou-se um dos recursos preferidos dos estúdios de animação (aliás, da indústria cinematográfica em geral), e não demorou para que surgissem companhias especializadas na área. Conquistando público e crítica, a Pixar Animation Studios, a DreamWorks Animation e a Blue Sky Studios são três das maiores empresas voltadas para a tecnologia digital.

 

Pixar Animation Studios

John Lasseter – Diretor criativo da Pixar.

Fundada na década de 80, por Ed Catmull, a Pixar já indica sua proposta no nome: unindo as palavras pixels (pontos compostos por cores que, juntos, formam uma imagem) e art, tem como ideia central a criação de animações totalmente digitais, fazendo, portanto, “arte com pixels”. Em 1986, a Pixar lançou o curta Luxo Jr., bem conhecido pelos fãs de animação, e que conta a história de uma pequena luminária que brinca com uma bola de borracha com o pai. E é exatamente essa luminária que representa o estúdio, como seu logotipo. Dois anos depois, a Pixar fez história com Tin Toy, primeira animação digital a ganhar um Oscar de Melhor Curta de Animação. Inspirado no curta, Toy Story foi o primeiro longa metragem lançado pelo estúdio, e tornou-se queridinho de público e crítica, gerando, inclusive, sequências de sucesso. Dirigido por John Lasseter (Vida de Inseto; Carros), o filme precisou de 27 animadores, mais de 100 computadores e anos de trabalho para que fosse finalizado. Após uma longa parceria e um período de afastamento, a Pixar entrou em acordo e foi vendida para a Disney, em 2006, por nada menos que 7 bilhões de dólares americanos.

 

DreamWorks Studios/ DreamWorks Animation

Princesa Fiona ficou tão realista que destoou dos outros personagens, e os animadores tiveram que retroceder para adequá-la aos demais.

Fundada em 1994, por Steven Spielberg (E.T. – O Extraterrestre; Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros) e pelos produtores Jeffrey Katzenberg e David Geffen, a DreamWorks Studios já trabalhava com animação tradicional e demonstrava interesse no mercado digital. Disposta a investir na área, a companhia criou a derivada DreamWorks Animation e lançou seu primeiro longa digitalmente animado, AntZ, em 1998. Confiante, o estúdio lançou mais três filmes até chegar a Shrek (2001), que desconstrói os contos de fadas de uma maneira divertida e inteligente, e se tornou um de seus maiores sucessos. A ideia inicial era de que os personagens de Shrek fossem mostrados da forma mais realista possível, e para isso, a própria DreamWorks desenvolveu softwares de animação que facilitariam o processo, como o Shaper, que anima as alterações de músculos e tecidos de acordo com o movimento dos personagens, poupando tempo e trabalho. O problema foi que a princesa Fiona ficou tão realista que começou a destoar dos outros personagens, e os animadores tiveram que retroceder para adequá-la aos demais! Atualmente, a DreamWorks Animation tem 30 filmes lançados, e mais dois com o lançamento previsto para o primeiro semestre de 2017.

 

Blue Sky Studios

Era de Gelo se tornou uma franquia de sucesso.

Com um número de lançamentos consideravelmente menor do que a Pixar e a DreamWorks, mas tão aclamada quanto, a Blue Sky Studios surgiu em 1997, como uma empresa especializada em CGI para publicidade e efeitos visuais para filmes. Após lançar o curta Bunny e vencer o Oscar de Melhor Curta de Animação em 1998, o estúdio se sentiu seguro para começar a produzir animações digitais. Lançado em Março de 2002, A Era do Gelo foi o primeiro longa da empresa, e conquistou seu espaço como uma das animações de mais sucesso da década ao contar a história de três animais pré históricos (um mamute, uma preguiça e um tigre dentes de sabre) que ajudam um bebê humano perdido a reencontrar seu pai. Dirigido por Chris Wedge (Robôs; Reino Escondido) e pelo brasileiro Carlos Saldanha, o filme ganhou quatro sequências. Saldanha, aliás, é um dos maiores nomes da companhia. Interessado em computação e artes, o carioca resolveu juntar os dois, e investiu em um curso de animação em computação gráfica nos Estados Unidos. Além de A Era do Gelo, o diretor, produtor e animador também está por trás da franquia Rio, outro sucesso da companhia.

E aí? Quais são as suas animações preferidas?

Comentários

comentários