CRÍTICA | UM CASAMENTO
Direção
Roteiro
Edição
Trilha Sonora
4.8Pontuação geral
Avaliação do leitor: (0 Votos)

‘NARRATIVA EMOCIONA, QUESTIONA E IMPRESSIONA’

O tempo, a saudade e nossas memórias são elementos que, mesmo contra a nossa vontade, nos rodeiam até o último minuto. Bom ou ruim, constroem histórias e formam o ser a qual somos. Não há um indivíduo que não tenha sofrido com as ações do tempo, com a dor da saudade ou com aquela memória de infância.

Apesar de ser frequente, ainda é muito discutido como parte de um questionamento maior da existência humana, servindo de inspiração em várias áreas da arte, principalmente no cinema.  Com muita poesia, sensibilidade e verdade, esse tema é abordado na ficção e em documentários, aumentando o debate em torno do assunto e emocionando quem assiste, por ter o elemento da verdade como o personagem principal. Esse é o exemplo do novo documentário da diretora Mônica Simões, Um Casamento.

Com muito cuidado e de forma orgânica, Mônica conta a história da sua família através das lembranças do casamento de seus pais. Durante toda a produção, sua mãe Maria Muniz é entrevistada sobre suas recordações em relação a sua infância, adolescência e vida adulta, tendo como ponto de partida, fotos, vídeos e informações sobre o dia do seu matrimônio. Com o objetivo de capturar a expressão mais espontânea possível da personagem principal, Mônica não contou do que se tratava a entrevista, dando a oportunidade ao público de acompanhar a primeira reação de Maria diante o material exposto.

Mesmo focado no tema “Casamento”, engana-se quem acredita que se limita a isso, ou que estamos assistindo uma história de casamento de sucesso, pelo contrário, o que acompanhamos é maior. Uma celebração à mulher, tempo, família, gerações passadas e futuras e uma oportunidade para discussões de assuntos como machismo e o papel da mulher na sociedade de hoje e dos anos 50.

Com o decorrer do filme, podemos perceber outros assuntos, como o fato de Maria não se prestou a cumprir o papel destinado as mulheres de seu tempo, já que o casamento durou apenas 6 anos e uma narrativa canalizada na profissional Maria Muniz, uma atriz a frente de seu tempo, criada para as artes, não para casamento. Atuante no filme O Caipora de Oscar Santana, protagonizando o primeiro beijo em tela grande na província da Bahia. Jornalista, lutou para existir, com o brilho devido, sofrendo represálias por isso.

A narrativa emociona, questiona e impressiona, contando com elementos como a trilha sonora de Luisão Pereira, composta especialmente para o filme, sendo toda instrumental e a produção, que conseguiu reunir o maior número de material antigo e raro, que ajudam a montar o clima de nostalgia e melancolia que regem a produção. Um Casamento parece ser um filme de uma família, mas é sobre nós todos. O nosso passado e presente. Sobre um tempo e uma sociedade que estão em vias de desaparecimento.

Ficha Técnica

UM CASAMENTO
Distribuidor: Pandora Filmes
Gênero: Documentário
Classificação etária: 16 anos
Data de Lançamento: 18 de Maio de 2017
Tempo de Duração: 1h 20min
Direção: Mônica Simões
Roteirista: Mônica Simões
Produção: Mônica Simões
Edição: Jordana Berg
Trilha Sonora:  Luisão Pereira

Elenco: Maria Muniz.

Sinopse:
Uma senhora relembra o seu casamento, realizado na década de 1950, em Salvador, na Bahia. A exposição do vídeo do matrimônio dela, os relatos dela, assim como as lembranças da diretora, que é filha da noiva, conduzem à reflexão sobre o tempo e a importância das lembranças.

Comentários

comentários