CONSEGUE CRIAR UM BOM CLIMA DE SUSPENSE

Criado em 2013 para o desafio de curta-metragens de terror “Bloody Cuts: Who’s There”, a versão original de “Quando as Luzes se Apagam” se tornou viral na internet. Com menos de três minutos de duração, o filme apresenta um conceito simples, mas inteligente ao jogar com um medo comum à maioria das pessoas: o escuro.   

O sucesso do curta, dirigido por David F. Sandberg, deu origem ao longa-metragem de mesmo título, assim como ocorreu com Mama (Andrés Muschietti) e O Espelho (Mike Flanagan) recentemente. Quando as Luzes se Apagam é o primeiro longa de Sandberg como diretor, mas o envolvimento de James Wan (Sobrenatural; Invocação do Mal 2) na produção aumentou bastante as expectativas dos fãs do gênero.

LIGHTS OUT

Martin (Gabriel Batema) e Rebecca (Teresa Palmer)

   

Na trama, a mentalmente instável Sophie (Maria Bello) enfrenta dificuldades para lidar com a morte do marido, o que acaba afetando seu filho Martin. Ao conversar com o irmão mais novo, Rebecca (Teresa Palmer), que tem uma relação conturbada com a mãe, percebe que o garoto está sendo atormentado pelos mesmos pesadelos que tinha quando pequena, onde a escuridão atrai uma criatura maléfica chamada Diana, que parece ter uma forte ligação com Sophie. Disposta a proteger Martin, Rebecca começa a investigar o passado da mãe.

O drama de Sophie e sua doença, assim como a sua relação com os filhos, é desenvolvida de forma realista e interessante, e é possível perceber o crescimento dos personagens ao longo da trama. Até mesmo Bret, namorado de Rebecca, desempenha um papel importante na história, fugindo do clichê do romance que não tem nada a acrescentar.  Maria Bello e Teresa Palmer são os grandes destaques do elenco, tornando a conturbada relação entre mãe e filha bem trabalhada. Lotte Losten, protagonista do curta-metragem, faz uma participação pequena logo no início do filme.

LIGHTS OUT

O filme apresenta boa Fotografia

A sequência inicial, aliás, é o ponto alto do longa, e poderia tranquilamente ser isolada do restante do filme, rendendo um curta de qualidade. Nela, a relação entre Diana  e a escuridão é apresentada logo de cara, e entendemos rapidamente que a única arma contra a misteriosa criatura é a luz.

A Fotografia, porém, não fica limitada por conta disso.  Pelo contrário. Marc Spices utiliza diferentes formas de iluminação para jogar com cores e sombras de maneira engenhosa. Quando as Luzes se Apagam tem apenas 81 minutos de duração, mas o roteiro e a montagem ágeis contribuem para o bom andamento da trama, e não deixam pontas soltas.

LIGHTS OUT

Rebecca disposta a proteger Martin

Quanto ao gênero, o filme cumpre o seu papel, e consegue criar um bom clima de suspense, afinal, nunca sabemos quando Diana vai pular da sombra mais próxima. O longa, no entanto, peca na quantidade excessiva de “jump scares”. A partir de determinado ponto, o público já pode antecipar os momentos de susto. O final previsível, que apresenta uma saída fácil para todos os problemas, também é um ponto negativo.

Apesar de alguns clichês típicos, Quando as Luzes se Apagam apresenta uma trama interessante, com personagens inteligentes (algo raro em filmes de terror) e uma criatura verdadeiramente assustadora. Vale a pena assistir – e levar uma lanterna com pilhas extras.

Ficha Técnica

QUANDO_AS_LUZES_SE_APAGAMQUANDO AS LUZES SE APAGAM (Ligths Out)
Distribuidor/ Produtora: Warner Bros Pictures
Gênero: Terror, Suspense
Classificação Etária: 14 anos
Data de Lançamento:  18 de agosto de 2016
Tempo de Duração: 1h 21min
Direção: David F. Sandberg
Roteiro:  Lawrence Grey, Eric Heisseirer

Produtores: Lawrence Grey, Eric Heisseirer, James Wan

Elenco:
Maria Bello (Sophie); Teresa Palmer (Rebecca), Gabriel Bateman (Martin), Alexander DiPersia (Bret), Alicia Vela-Bailey (Diana).

Sinopse

Afetada pela repentina morte do marido, a instável Sophie volta a ter visões com uma criatura que só aparece no escuro. Para proteger o irmão caçula, Rebecca, filha de Sophie, começa uma investigação sobre o passado da mãe e seu envolvimento com a misteriosa criatura.

CRÍTICA | QUANDO AS LUZES SE APAGAM
Roteiro
Direção
Elenco
Fotografia
Trilha Sonora
Pontos Positivos
  • Elenco
  • Fotografia
  • Premissa
Pontos Negativos
  • Final previsível
  • Excesso de "jump scares"
4.2Pontuação geral
Avaliação do leitor: (0 Votos)

Comentários

comentários