CRÍTICA | NEGAÇÃO
Direção
Roteiro
Elenco
Trilha Sonora
Produção
3.7Pontuação geral
Avaliação do leitor: (0 Votos)

‘IMPORTANTE PARA RESGATE DA MEMÓRIA’

No século passado, assistimos guerras que mudaram o rumo da história da humanidade. A Primeira e a Segunda Guerra Mundial, destruíram países e criaram personagens e ideais que são lembrados e retomados até hoje em nossa sociedade. Dentre esses dois fatos históricos, o mais marcante e tenebroso foi, sem sombra de dúvidas, o Holocausto, ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial e liderada por Hitler. Com a promessa de uma Alemanha de raça pura, o terceiro Heinrich aprisionou e assassinou mais de 1,5 milhões de Judeus em campos de concentrações, espalhando medo e cometendo as maiores atrocidades inimagináveis.

Apesar de todos os fatos que comprovam o ocorrido e as vítimas com seus depoimentos, muitos estudiosos e especialistas acreditam e afirmam que o Holocausto não existiu e que seria uma invenção das grandes potências, como os Estados Unidos para desestabilizar a Alemanha e toda a Europa. Esse inclusive, é o argumento do novo filme do renomado diretor Mick Jackson (A Última Grande Lição, 1999; O Fator Hades, 2006), denominado Negação.

Rachel Weisz protagoniza o filme

Ambientado entre os Estados Unidos e a Inglaterra, a produção conta a história verídica da escritora Deborah E.Lipstadt (Rachel Weisz – “A Múmia” e “O Jardineiro Fiel”) e seu combate legítimo contra o estudioso David Irving (Timothy Spall – “Encantada” e “Segredos e Mentiras”) que a acusa de difamação por Deborah afirmar que ele não acredita no Holocausto. Com isso, Deborah é obrigada a enfrentar um longo processo judicial nos tribunais de Londres na tentativa de provar que o Holocausto realmente existiu e que sua afirmação contra David não se trata de uma difamação, mas sim de uma verdade.

Com várias cenas nos campos de concentração, o roteirista David Hare (“O Leitor” e “As Horas”) constrói uma narrativa de homenagens às vítimas e de construção de uma história verídica que merece ser contada a fim de trazer à tona o debate sobre o ocorrido em 1939.

Os atores, ainda pouco conhecidos pelo grande público, conseguem fazer seu trabalho com qualidade, transmitindo a mensagem com objetividade, mas sem grande estrelismo. Assim também acontece com a trilha sonora, que apesar de colaborar muito com o desenrolar da história, também se mantêm na normalidade e no conforto.

Diálogos reais do julgamento do caso nas cenas do tribunal

Já o contrário acontece com a produção e com a direção, que com maestria, monta um enredo nos mínimos detalhes, como a inclusão de diálogos reais do julgamento do caso nas cenas do tribunal e a reprodução de cenas e fotos da época, relatando com uma convicta perfeição toda a atmosfera que pairava pelo ar Europeu.

Filme importante para o resgate da memória e o estudo contextualizado do acontecido. Sempre resgatar e debater os assuntos passados, mesmo que obscuros, são importantes para não se transformado como padrão a ser seguido e relembrar que o ser humano consegue ser cruel e desumano, sem ao menos perceber.

Ficha Técnica

NEGAÇÃO (Denial)
Distribuidor: Sony Pictures
Gênero: Drama, Biografia
Classificação etária: 12 anos
Data de Lançamento: 09 de Março de 2017
Tempo de Duração: 1h 51 min
Direção: Mick Jackson
Roteiro: David Hare
Produção: Russell Krasnoff, Jonathan King, Christine Langan
Trilha Sonora: Howard Shore

Elenco: Rachel Weisz, Timothy Spall, Tom Wilkinson, Andrew Scott, Caren Pistorius, Alex Jennings

Sinopse:
Deborah E. Lipstadt (Rachel Weisz) é uma conceituada pesquisadora que, em seu livro, ataca veementemente o historiador David Irving (Timothy Spall), que prega que o Holocausto não existiu e é uma invenção dos judeus para lucrar mais. Julgando-se prejudicado pelo que foi publicado, Irving entra com um processo por difamação contra Deborah. Só que, pelas leis britânicas, em casos do tipo é a ré quem precisa provar a veracidade da acusação. Logo ela se vê em uma disputa judicial que, mais do que envolver dois estudiosos da História, pode colocar em dúvida a morte de milhares de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Comentários

comentários