‘DENÚNCIA AO HORROR’

O nosso país sempre teve como plano de fundo questões sociais que regeram a construção do Brasil como nação e até hoje permeiam os corredores dos três poderes políticos brasileiro. Questões essas, que apesar de muita discussão por parte dos governantes e até pela população, muitas vezes passaram despercebidas, causando danos irreparáveis para as suas vítimas e seus familiares.

Com o intuito de divulgar e despertar a atenção da sociedade, que a jornalista Daniela Abrex lançou em 2013 o Holocausto Brasileiro, livro que conta a história do Hospital Psiquiátrico Colônia, localizado em Barbacena, interior de Minas Gerais. Agora, três anos depois, a própria Daniela apresenta no Festival do Rio, o documentário baseado no livro contando de forma emocionante e profunda, todas as atividades absurdas praticadas dentro do hospital contra pacientes diagnosticados ou não, com algum tipo de problema psiquiátrico.

Conta a história do Hospital Psiquiátrico Colônia

Inaugurado no dia 12 de outubro de 1903, o hospital foi construído com o intuito de cuidar dos tuberculosos e da elite que na época, procurava por lugares mais saudáveis para se viver. Divididos em 16 complexos, e afastado da cidade, suas atividades funcionaram com esse propósito até a década de 30 quando o Estado Novo, regime político da época, transformou o lugar em um verdadeiro hospício com médicos despreparados, métodos médicos duvidosos e condições humanas inapropriadas. Todos os pacientes eram levados para o hospital, amontoados em vagões de trens que foi apelidado pela população local de “Trem doido” e que durante mais de 50 anos depositaram o que a sociedade fazia questão de esconder.

Durante 90 minutos, o espectador presencia uma denúncia contra o abandono de incapaz, crime contra a dignidade humana e o descaso das autoridades que permitiram toda essa prática diante dos seus olhos da forma mais irresponsável possível. Tudo isso de formar pessoal, emocional e muito intimista, com os depoimentos dos enfermeiros que trabalharam em algum momento no Colônia, do diretor do hospital e o principal, pacientes sobreviventes, que sofreram na pele toda a tortura e absurdos exercidos naquele lugar.

holocausto_brasileiro-4

Trataram com muito cuidado desse assunto delicado

 Resultado possível graças ao trabalho brilhante, respeitoso e de grande qualidade da direção de Armando Mendz e Daniela Arbex, que trataram com muito cuidado desse assunto delicado, conseguindo assim deixar os entrevistados muito a vontade, arrancando deles valiosas informações. Assim como o roteiro e a edição, que desempenharam o mesmo papel da direção, sempre com muito cuidado e respeito pelos envolvidos e imagens brilhantes do local que ajudam a montar a história na cabeça do espectador.

Se você quer acompanhar esse episódio vergonhoso do nosso país de perto, e sentir todas as emoções possíveis, é só aproveitar os últimos dias do Festival do Rio e comparecer as próximas exibições do filme, que ocorrer até amanhã, dia 15 de outubro (sábado), às 16h no Cine Joia, em Copacabana e na quarta-feira, dia 19 de Outubro, às 14h, no Ponto Cine, em Guadalupe.

Ficha Técnica

holocausto_brasileiro-1
HOLOCAUSTO BRASILEIRO
Distribuidor/ Produtora: HBO
Gênero: Documentário
Classificação Etária: 16 anos
Data de Lançamento: 20 de Novembro de 2016
Tempo de Duração: 1h 30min
Direção: Daniela Arbex , Armando Mendz
Roteiro: Daniela Arbex
Produtores: Roberto Rios, Maria Ângela de Jesus, Paula Belchior, Patrícia Carvalho, Alessandro Arbex e Daniela Arbex
Montadora: Fábio Cabral

Sinopse
Adaptação do livro homônimo escrito por Daniela Arbex, este é um retrato aprofundado e contundente sobre os eventos que ficaram conhecidos como Holocausto Brasileiro, ou seja, o grande genocídio cometido contra os pacientes psiquiátricos do hospício de Barbacena, em Minas Gerais, local onde os pacientes eram torturados, humilhados e assassinados.

 

CRÍTICA | HOLOCAUSTO BRASILEIRO
Direção
Roteiro
Fotografia
Montagem
5.0Pontuação geral
Avaliação do leitor: (17 Votos)

Comentários

comentários