‘QUANDO O AMOR EXIGE TODAS AS ESCOLHAS’

Como uma pessoa que sobrevive a uma grande batalha se sente após retornar? Qual quantidade de sensações um sobrevivente de guerra é capaz de sentir? Após ver tanta morte não gostaria de companhia, de vida? A Luz entre os Oceanos inicia-se quebrando estas questões, mostrando-nos Tom Sherbourne (Michael Fassbender) um herói da Grande Guerra que deseja a solidão, candidatando-se a uma vaga de faroleiro na Ilha de Janus, Costa Oeste da Austrália. Ao encontrar-se com Isabel Graysmark (Alicia Vikander), a jovem que também traz a dor da guerra na perda de dois irmãos, sonha em conhecer a Ilha de Janus e a partir deste desejo, nasce, a partir de suas necessidades, o amor.

Apesar de toda a promessa, o tema principal não é o amor entre o faroleiro e a menina sonhadora da cidade pequena, mas sim o que acontece quando os dois encontram um barco a remo perdido no mar, com um bebê ainda vivo e o corpo de um homem. Apesar da relutância do esposo tão disciplinado por seus moldes militares, Isabel insiste em criar a bebê como sua filha, e diante de dois recentes traumas do casal, Tom aceita o desejo da esposa. A história então começa a ganhar forma quando o casal descobre que causou um grande sofrimento e o segredo da família é descoberto. Aqui começamos a entender o slogan do filme: “O Amor exige Tudo”.

a-luz-entre-oceanos-4

Sob a direção de Derek Cianfrance (O Lugar Onde Tudo Termina, 2012), a adaptação do livro de mesmo nome, da escritora M. L. Stedman utiliza muito de planos gerais, aproveitando a beleza das locações, e seria mesmo um pecado não adotar este recurso nessa película, que tem cenas de transição belíssimas, dando a impressão que apenas em um lugar como Janus uma história tão dramática poderia ser vista com beleza.

 A trilha sonora, principalmente os efeitos sonoros nos inserem de maneira muito particular à Ilha, estamos sempre conectados ao oceano por este recurso. Alexandre Desplat (O Curioso Caso de Benjamin Button, 2008) mais uma vez emociona com composições de altíssima qualidade, que dão o romantismo o qual o roteiro não conseguiu demonstrar.

a-luz-entre-oceanos-5

Sim, o roteiro é arrastado e o filme torna-se um pouco cansativo após a primeira hora de sessão. Quanto ao elenco, destaco apenas a atuação de Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa, 2016), que dando vida à Isabel consegue causar ao longo do filme empatia, tristeza e também indignação com sua personagem.

Apesar dos problemas no roteiro, A Luz entre os Oceanos acaba nos falando sobre egoísmo tentando nos falar sobre amor, e traz uma carga emocional muito forte, talvez pela temática extremamente difícil. O olhar sobre nossas escolhas, que mais são regidas à emoção, ainda que tentemos escondê-la sob o medo racionalidade, coloca-nos em cheque diante daquilo que somos capazes de fazer por amor, mas principalmente, diante daquilo que somos capazes de desfazer por ele.

Ficha Técnica

a_luz_entre_oceanos_cartaz_poster
A LUZ ENTRE OCEANOS (The Light Between Oceans)
Distribuidor/ Produtora: Paris Fimes
Gênero: Drama, Romance
Classificação Etária: 12 anos
Data de Lançamento: 03 de Novembro de 2016
Tempo de Duração: 2h 13min
Direção: Derek Cianfrance
Roteiro: Derek Cianfrance
Produtor: Jonathan Aibel, Glenn Berger, Andrew Adamson
Trilha Sonora: David Heyman, Jonathan King
Fotografia: Adam Arkapaw

Elenco: Michael Fassbender (Tom Sherbourne), Alicia Vikander (Isabel Sherbourne), Rachel Weisz (Hannah Roennfeldt), Bryan Brown (Septimus Potts), Jack Thompson (Ralph Addicott), Anthony Hayes (Vernon Knuckey)Caren Pistorius (Adult Lucy Grace)

Sinopse

Na Austrália, depois da Primeira Guerra Mundial, Tom Sherbourne (Michael Fassbender) é um homem trabalha em um farol ao lade sua esposa, Isabel Graysmark (Alicia Vikander). Um dia, eles encontram dentro de um barco um cadáver e um bebê de dois meses de idade. O casal pensa inicialmente em avisar a polícia, mas depois decidem que este foi um presente de Deus, e passam a cuidar da criança. Muito tempo mais tarde, quando fazem uma viagem, eles descobrem que tomaram a decisão errada.

CRÍTICA | A LUZ ENTRE OS OCEANOS
Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia
Trilha Sonora
3.6Pontuação geral
Avaliação do leitor: (0 Votos)

Comentários

comentários